Desenvolvimento pessoal no aconselhamento e Psicoterapia

Publicado a 26.10.2013

Nos nossos dias, quando se trata de assegurar um desenvolvimento saudável das crianças, já é pratica corrente recorrer a psicólogos em contexto clinico ou educativo, para “resolver  problemas” do foro psicológico ou de comportamento .

Todavia,  quando se trata de apoio psicológico de adultos ,  apesar  das  abordagens  da psicologia  mais positivas e construtivas,  ainda se pensa muito em termos de tratamento e não tanto em  prevenção  ou desenvolvimento pessoal,  para maior progressão e qualidade de vida.

Esta realidade é particularmente premente entre os  jovens adultos, quando expostos a múltiplos factores de stress na transição  para a vida adulta. São exemplo disso, o  acesso e as exigências da vida académica , o inicio de carreira, a  adaptação nas relações  (pré)conjugais, a preparação para a parentalidade ,  etc.  

Em todo o caso,  a realidade vai mudando  e progredindo ao sabor das necessidades , senão vejamos...   No  contexto educativo,   a maior evidencia de fenómenos de insucesso escolar e de inaptidão ou agressão social entre os pares, tem   desencadeado  preocupações acrescidas entre os técnicos de educação e saúde mental, promovendo a inclusão progressiva de programas de desenvolvimento de competências socio-emocionais,  entre outros programas psicopedagógicos .

Também no mundo do trabalho, considerando que a ocupação profissional é absolutamente estruturante na vida das pessoas ,   os especialistas de recursos humanos  têm desenvolvido metodologias  cada vez mais focadas  na realidade de cada individuo ( enquanto parte interessada e capital da  organização)  que potenciem   as suas competências psico-sociais , no sentido da evolução  pessoal  e profissional -  nomeadamente  programas de formação especifica e Coaching.

Finalmente, no âmbito da  “saúde”, quando o individuo não beneficia de boas  capacidades de  recuperação face às tensões  do  quotidiano  e fica  descompensado na relação corpo - mente ,  muitos  clínicos já validam e recomendam a conjugação  de medicamentos  com a psicoterapia ,  procurando  integrar os vários  conhecimentos científicos num tratamento mais efectivo que favoreça  o desenvolvimento de meios  eficazes de resiliência e  prevenção de recaídas.

O desenvolvimento de  competências socio-emocionais,  no âmbito da psicoterapia, é uma construção  primordial   para uma  visão integrada da pessoa -  nas  suas vertentes   bio-psico-social,   e  enquanto ser pensante e agente activo do seu próprio percurso de vida.     

 Neste sentido,  para além  da natureza objetiva do pedido (mal estar psicológico ou evolução pessoal )   a  Psicoterapia oferece um enquadramento seguro para o  auto-conhecimento,  podendo constituir  uma  extensão  do aconselhamento  de Carreira,   num processo em que o cliente é conduzido pela sua própria experiencia cognitiva e emocional , à descoberta e transformação de crenças limitadoras do passado, á integração de estratégias  de auto-ajuda mais adaptativas   e à  projecção do futuro segundo perspectivas  mais construtivas  e enriquecedoras.